sábado, 24 de setembro de 2011

In Wonderland (parte 1)


- Ei menina, acorde! – senti alguém me sacudir e abri os olhos, me deparei com um pequeno coelho branco com enormes olhos vermelhos olhando-me. 
- Ela acordou? – escutei  uma voz perguntando seguida de vários murmurinhos.
- Onde estou? – olhei ao redor e me deparei com várias árvores altas e de troncos grossos, o único lugar que havia luz era onde eu estava, o que conclui que aquilo era uma clareira no meio de uma floresta, percebi que estava sentada em uma cadeira de madeira de frente para uma enorme mesa que parecia estar posta para o chá.
- Você está aqui para o chá! – o coelho sorriu e se sentou, seguido por vários bicinhos que estavam presentes e só nesse momento eu havia notado-os ali, do meu lado, entretanto, se sentou uma garotinha loira. 
- Agora que estão todos conscientes podemos começar a tomar o chá – um senhorzinho baixinho com um enorme chapéu na cabeça disse andando em cima da mesa e se sentando ao meu lado e de frente para a garotinha loira. 
- Meu nome é Alice, e é um prazer te ter por aqui – a garotinha disse sorrindo, me fazendo sorrir também e apenas balançar a cabeça positivamente.
- Quanto quer de chá, uma xícara ou meia? – o senhor voltou a subir em cima da mesa e se pôs de frente à Alice.
 - Meia xícara – ela respondeu, ele apenas quebrou um pedaço da xícara, o que achei muito estranho, e fiquei ainda mais assustada quando o mesmo tirou uma chaleira de debaixo do chapéu.
- Que garota estranha – escutei um passarinho comentar com uma lontra enquanto mordiscava um pedaço de bolo.
- O que à criança, o gato comeu a sua língua? – o senhor do chapéu perguntou enquanto os outros conversavam entre si e deliciavam-se com seus chás e aperitivos.
- Chapeleiro, chapeleiro, tu está cada vez mais louco eu não como a língua de ninguém – um sorriso amarelo, parecendo a lua minguante respondeu, atrás do imenso sorriso apareceu um gato gordo e todo listrado deitado em um galho de árvore próximo a minha cabeça, o que conclui ser um gato de cheshire, ele rapidamente pulou em cima da mesa e se pois a me observar – Creio que a menina só esteja um pouco assustada com toda essa situação, não é mesmo?
- I-isso mesmo – respondi tentando sorrir, apesar de que aquele gato me assustava um pouquinho, talvez pelo fato que ele havia aparecido do nada, sei que devia ter me assustado com o fato dele falar, mas todos estavam falando, sempre acreditei que no fundo animais podiam falar, ou o lugar que era estranho mesmo, sei lá. 
(continua)


P.S. Hey peoples, como estão? Espero que estejam gostando desse chá diferente, o escrevi como pequena homenagem a Lewis Carrol Coloquei umas imagens do desenho e outras do filme, porque quando escrevi me basiei mais no desenho e no livro do que no filme.
Beijos ;*
 

8 comentários:

Larissa Chagas disse...

linda seguindo aqui, segue lá tbm : http://believe-s.blogspot.com/

bjs e sucesso.

Marcos de Sousa disse...

Gostei da idéia de recriar a história. Parece que vai ficar bom...

Beijos

cecilia disse...

Que ideia ótima Tay, eu adorei e o bom é que tem mais ainda, vou tentar companhar ;)
Como vc tá Tay? saudades suas!
Beijos e ótima semana

Srª หคтнყ disse...

AHAH amei A narrativa!

Beju

Ana Agarriberri disse...

Aaah quero a continuação logo. =)

Beejo,beejo, boa semana pra vc.

✿ Nessinha✿ disse...

Olá!!
Acho muito legal as coisas que você escreve!! Que ótima ideia teve!! bejinhos
http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com/

deia.s disse...

Faço minhas as palavras do Marcos de Sousa aqui em cima. Gostei do que li, sabia que ia gostar antes de ler. As imagens deram uma contextualizada na hora da leitura.

Estava sentindo falta daqui, andei sumida mas voltei. :D

Grande beijo tay.

http://amar-go.blogspot.com/

Jeniffer Yara disse...

Own amei amei ><

Beijos